Escolha uma opção de navegação: Blog/ Site
Escolha sua navegação: Site / Blog
08 ago 2018 - Por Camila Coutinho
Comentários

Nosso #NABOLSA está de volta e com a participação dessa pessoa pela qual ando apaixonadaaa… Wanessa! Encontrei com ela quando fui gravar com Julia Faria e quando vi a bolsa-academia que ela carrega não tive dúvidas: já pedi pra fazer nosso what’s in your bag!

Dá o play pra descobrir tudo que essa mulher carrega com ela (eita bolsa pra caber coisa, viu?! kkk) e não esquece de se inscrever no canal!

#NABOLSA com Wanessa | what’s in your bag

08 ago 2018
- Por Camila Coutinho
Comentários

Nosso #NABOLSA está de volta e com a participação dessa pessoa pela qual ando apaixonadaaa… Wanessa! Encontrei com ela quando fui gravar com Julia Faria e quando vi a bolsa-academia que ela carrega não tive dúvidas: já pedi pra fazer nosso what’s in your bag!

Dá o play pra descobrir tudo que essa mulher carrega com ela (eita bolsa pra caber coisa, viu?! kkk) e não esquece de se inscrever no canal!

06 ago 2018 - Por Camila Coutinho
Comentários

Nessa segunda-feira (06/08) a Editora Abril encerrou as operações de 10 títulos, entre eles nomes de grande destaque do mercado de moda e comportamento, como a Cosmopolitan, Elle e Boa Forma. Completam a lista as revistas Mundo EstranhoArquitetura e Construção, Casa Cláudia e Minha Casa e os sites Casa.com, Educar para Crescer e Bebe.com.

Em nota, o Grupo Abril informou que “está reformulando o portfólio de marcas da editora com o objetivo de garantir sua saúde operacional em um ambiente de profundas transformações tecnológicas, cujo impacto vem sendo sentido por todo o setor de mídia”. Por enquanto, continuam a apostar na Veja, Veja São Paulo, Exame, Quatro Rodas, Claudia, Saúde, Superinteressante, Viagem e Turismo, Você S/A, Você RH, Guia do Estudante, Capricho, MDE Mulher, VIP e Placar.

“É um momento muito triste para o mercado editorial. Qualquer dia que você fecha uma revista no Brasil é um dia em que você perde informação importante, de qualidade”, comentou para o GE Cris Naumovs, diretora de redação da Cosmopolitan Brasil.

Além da dificuldade em manter o negócio saudável financeiramente com vendas e publicidade em geral, revistas como a Cosmo e Elle enfrentam também o peso do licenciamento dos títulos gringos (é preciso pagar pelos direitos de publicação sob esses nomes, como se fosse uma franquia). “É um valor muito alto e que começou a ficar impraticável pro mercado brasileiro como é hoje. A gente vem observando há anos essa história do contrato, mas é uma decisão da corporação”, explicou.

ALGUMAS REFLEXÕES…

Sempre amei ler e me inspirar em revistas como essas, saí nas capas de várias delas, tenho amigos talentosíssimos que estão nessas redações, por isso sinto realmente um aperto no coração com essa notícia. É muito difícil mesmo manter o interesse no impresso quando está tudo aí livremente publicado no Instagram, Youtube e sites de notícias a qualquer hora – e a apenas um clique de distância, de graça.

“Tem uma coisa que é muito maluca pra mim que é você pagar Spotify, Netflix, mas só a informação se quer de graça. A gente – e com isso me refiro a todo mundo – precisa investir em informação de qualidade, senão ficamos na mão das fake news, aquelas coisas todas que ninguém checa e se fala o que se quiser. Ficamos sem saber no que acreditar”, aponta Cris. “Enquanto a audiência não entender isso, as coisas vão morrendo – e cada vez que morre uma revista as pessoas lamentam, mas qual foi a última vez em que compraram uma?”.

Já nem é mais aquela velha (e cansada) questão impresso x digital. “Não é ‘um ou outro’, é ‘e’, o mercado digital também precisa faturar mais. O suporte (se é papel, internet…) tanto faz, a boa informação vai estar no aplicativo, jornal, site, newsletter…”, observou.

Comunicamos que a Editora Abril, que detém os direitos de licenciamento da ELLE no Brasil, decidiu descontinuar a publicação do título a partir deste mês, tanto no impresso quanto no online. Desde que chegou ao Brasil, em 1988, a ELLE revolucionou o mercado editorial com sua linguagem inovadora, sua moda jovem e irreverente, seu lifestyle luxuoso e ao mesmo tempo acessível. Durante esses 30 anos, formou grandes profissionais, lançou e ajudou a consolidar a carreira de inúmeros fotógrafos, modelos e estilistas. Saiu na frente ao ser a primeira revista de seu segmento a ter um site, a ganhar uma edição digital para tablets, a produzir conteúdos em vídeo e a estar presente em todas as redes sociais. ELLE também foi pioneira ao ser a primeira revista de moda brasileira a defender liberdades individuais, a falar de feminismo, a se posicionar sobre questões de gênero e a dar cada vez mais espaço para a diversidade. Cumpriu seu papel de fazer um jornalismo de moda sério, moderno e engajado, compartilhando com sua audiência valores fundamentados em respeito, empatia e humanismo. Soube capturar como nenhum outro título o espírito de seu tempo e virou referência no mercado editorial brasileiro. Publicou capas históricas que foram aclamadas por aqui e internacionalmente. É com tristeza, mas sobretudo com muito orgulho, que a equipe se despede de seus leitores com a edição de agosto, que está nas bancas e fala de sustentabilidade na moda e nas relações, além de trazer belíssimas imagens registradas na Amazônia. Agradecemos imensamente a todos aqueles que nos acompanharam até aqui. Aos assinantes que nos dedicaram sua confiança e lealdade, comunicamos que a Editora Abril enviará o mais breve possível uma carta com novas informações sobre sua assinatura. #ELLEBrasil

A post shared by ELLE Brasil (@ellebrasil) on

Na minha opinião, realmente não tem mais espaço para tantos veículos impressos, e a melhor saída para sobreviver no cenário atual é investir no branding em cima do nome da revista com produtos offline, eventos, de forma que o título seja o que mantém o fascínio por uma marca, mas não necessariamente sua principal fonte. Há outros caminhos a serem explorados também, como fizeram a Capricho e a Teen Vogue, que deixaram de ter sua versão impressa para focar em edições digitais, evitando assim o fim completo de marcas tão fortes.

Todo mundo passa por reformulações – os blogs também! – e a gente tem que estar aberto às mudanças. Notícias como essa da Editora Abril só mostram o quanto é preciso valorizar também o mercado digital – cobrar os preços certos, ter direito de imagem, de criação, dar valor aos profissionais… Na prática, o mercado ainda tende a dar mais valor ao impresso (por ser mais palpável, por seu prestígio tradicional…) do que ao digital, mesmo sendo possível atingir muito mais gente com a internet. Tem muita mão de obra boa por aí, e o mercado também tem que perceber que aquela que é feita para a internet também deve ser valorizada, é preciso fortalecer essa plataforma como negócio.

A verdade é que o conteúdo nunca morre, as pessoas vão querer consumir informação sempre, mas para ter isso com qualidade é preciso um mercado forte, sem medo de ser criativo e de apostar em novos modelos.

Editora Abril fecha as revistas Elle, Cosmopolitan, Boa Forma e mais sete títulos

06 ago 2018
- Por Camila Coutinho
Comentários

Nessa segunda-feira (06/08) a Editora Abril encerrou as operações de 10 títulos, entre eles nomes de grande destaque do mercado de moda e comportamento, como a Cosmopolitan, Elle e Boa Forma. Completam a lista as revistas Mundo EstranhoArquitetura e Construção, Casa Cláudia e Minha Casa e os sites Casa.com, Educar para Crescer e Bebe.com.

Em nota, o Grupo Abril informou que “está reformulando o portfólio de marcas da editora com o objetivo de garantir sua saúde operacional em um ambiente de profundas transformações tecnológicas, cujo impacto vem sendo sentido por todo o setor de mídia”. Por enquanto, continuam a apostar na Veja, Veja São Paulo, Exame, Quatro Rodas, Claudia, Saúde, Superinteressante, Viagem e Turismo, Você S/A, Você RH, Guia do Estudante, Capricho, MDE Mulher, VIP e Placar.

“É um momento muito triste para o mercado editorial. Qualquer dia que você fecha uma revista no Brasil é um dia em que você perde informação importante, de qualidade”, comentou para o GE Cris Naumovs, diretora de redação da Cosmopolitan Brasil.

Além da dificuldade em manter o negócio saudável financeiramente com vendas e publicidade em geral, revistas como a Cosmo e Elle enfrentam também o peso do licenciamento dos títulos gringos (é preciso pagar pelos direitos de publicação sob esses nomes, como se fosse uma franquia). “É um valor muito alto e que começou a ficar impraticável pro mercado brasileiro como é hoje. A gente vem observando há anos essa história do contrato, mas é uma decisão da corporação”, explicou.

ALGUMAS REFLEXÕES…

Sempre amei ler e me inspirar em revistas como essas, saí nas capas de várias delas, tenho amigos talentosíssimos que estão nessas redações, por isso sinto realmente um aperto no coração com essa notícia. É muito difícil mesmo manter o interesse no impresso quando está tudo aí livremente publicado no Instagram, Youtube e sites de notícias a qualquer hora – e a apenas um clique de distância, de graça.

“Tem uma coisa que é muito maluca pra mim que é você pagar Spotify, Netflix, mas só a informação se quer de graça. A gente – e com isso me refiro a todo mundo – precisa investir em informação de qualidade, senão ficamos na mão das fake news, aquelas coisas todas que ninguém checa e se fala o que se quiser. Ficamos sem saber no que acreditar”, aponta Cris. “Enquanto a audiência não entender isso, as coisas vão morrendo – e cada vez que morre uma revista as pessoas lamentam, mas qual foi a última vez em que compraram uma?”.

Já nem é mais aquela velha (e cansada) questão impresso x digital. “Não é ‘um ou outro’, é ‘e’, o mercado digital também precisa faturar mais. O suporte (se é papel, internet…) tanto faz, a boa informação vai estar no aplicativo, jornal, site, newsletter…”, observou.

Comunicamos que a Editora Abril, que detém os direitos de licenciamento da ELLE no Brasil, decidiu descontinuar a publicação do título a partir deste mês, tanto no impresso quanto no online. Desde que chegou ao Brasil, em 1988, a ELLE revolucionou o mercado editorial com sua linguagem inovadora, sua moda jovem e irreverente, seu lifestyle luxuoso e ao mesmo tempo acessível. Durante esses 30 anos, formou grandes profissionais, lançou e ajudou a consolidar a carreira de inúmeros fotógrafos, modelos e estilistas. Saiu na frente ao ser a primeira revista de seu segmento a ter um site, a ganhar uma edição digital para tablets, a produzir conteúdos em vídeo e a estar presente em todas as redes sociais. ELLE também foi pioneira ao ser a primeira revista de moda brasileira a defender liberdades individuais, a falar de feminismo, a se posicionar sobre questões de gênero e a dar cada vez mais espaço para a diversidade. Cumpriu seu papel de fazer um jornalismo de moda sério, moderno e engajado, compartilhando com sua audiência valores fundamentados em respeito, empatia e humanismo. Soube capturar como nenhum outro título o espírito de seu tempo e virou referência no mercado editorial brasileiro. Publicou capas históricas que foram aclamadas por aqui e internacionalmente. É com tristeza, mas sobretudo com muito orgulho, que a equipe se despede de seus leitores com a edição de agosto, que está nas bancas e fala de sustentabilidade na moda e nas relações, além de trazer belíssimas imagens registradas na Amazônia. Agradecemos imensamente a todos aqueles que nos acompanharam até aqui. Aos assinantes que nos dedicaram sua confiança e lealdade, comunicamos que a Editora Abril enviará o mais breve possível uma carta com novas informações sobre sua assinatura. #ELLEBrasil

A post shared by ELLE Brasil (@ellebrasil) on

Na minha opinião, realmente não tem mais espaço para tantos veículos impressos, e a melhor saída para sobreviver no cenário atual é investir no branding em cima do nome da revista com produtos offline, eventos, de forma que o título seja o que mantém o fascínio por uma marca, mas não necessariamente sua principal fonte. Há outros caminhos a serem explorados também, como fizeram a Capricho e a Teen Vogue, que deixaram de ter sua versão impressa para focar em edições digitais, evitando assim o fim completo de marcas tão fortes.

Todo mundo passa por reformulações – os blogs também! – e a gente tem que estar aberto às mudanças. Notícias como essa da Editora Abril só mostram o quanto é preciso valorizar também o mercado digital – cobrar os preços certos, ter direito de imagem, de criação, dar valor aos profissionais… Na prática, o mercado ainda tende a dar mais valor ao impresso (por ser mais palpável, por seu prestígio tradicional…) do que ao digital, mesmo sendo possível atingir muito mais gente com a internet. Tem muita mão de obra boa por aí, e o mercado também tem que perceber que aquela que é feita para a internet também deve ser valorizada, é preciso fortalecer essa plataforma como negócio.

A verdade é que o conteúdo nunca morre, as pessoas vão querer consumir informação sempre, mas para ter isso com qualidade é preciso um mercado forte, sem medo de ser criativo e de apostar em novos modelos.

02 ago 2018 - Por Camila Coutinho
Comentários

E depois do post sobre o desfile de Jean Paul Gaultier e das dicas para curtir o melhor de Paris em apenas 24 horas SAIIIUUU o vlog dessa viagem!! E com direito à participação amor da minha irmã, Bruna, melhor companhia! <3

  • Gostaram? Contem aí o que mais querem ver quando faço vlogs (como não costumo fazer muitos às vezes fico um pouco perdida sobre o que mais interessa vocês nesse assunto!) 

    e não deixem de se inscrever para saber quando tem vídeo novo! O canal voltou a toda!!!

Vlog: Paris com Brunelas, Jean Paul Gaultier na alta-costura, onde tirar foto da Torre e mais!

02 ago 2018
- Por Camila Coutinho
Comentários

E depois do post sobre o desfile de Jean Paul Gaultier e das dicas para curtir o melhor de Paris em apenas 24 horas SAIIIUUU o vlog dessa viagem!! E com direito à participação amor da minha irmã, Bruna, melhor companhia! <3

  • Gostaram? Contem aí o que mais querem ver quando faço vlogs (como não costumo fazer muitos às vezes fico um pouco perdida sobre o que mais interessa vocês nesse assunto!) 

    e não deixem de se inscrever para saber quando tem vídeo novo! O canal voltou a toda!!!

30 jul 2018 - Por Andressa Fernandes
Comentários

Queridinho do mundo da beleza, o Fix+ ficou ainda mais irresistível: é que a bruma hidratante da M.A.C ganhou três novas fragrâncias, unindo as propriedades de sua fórmula com vitaminas, minerais, chá verde, camomila e pepino ao aroma suave de Coco, Lavanda e Rosas!

Os produtos já foram lançados lá fora há algum tempinho, mas agora também chegaram à linha fixa da marca canadense no Brasil (R$ 120 cada) e essa foi a deixa para um encontro com Fabiana Gomes, maquiadora sênior da M.A.C por aqui! Ela deu várias dicas espertas para aproveitar o item das mais variadas maneiras, é um verdadeiro multiuso da maquiagem! “Fix+ é um salva-vidas mesmo, a gente costuma dizer que queria que viesse encanado na torneira”, brincou. Confira:

O Fix+ original e os novos com fragrância de Rosas, Coco e Lavanda | R$ 120 cada

10 JEITOS DE USAR O FIX+

1. PARA POTENCIALIZAR O ILUMINADOR (OU A COR DA SOMBRA): muitas vezes o brilho não aparece na foto, fica “morto”. O Fix+ meio que “dá uma liga nos pigmentos”, além de ajudar a fixar o make! “Você pode tanto borrifar direto na embalagem (isso funciona, por exemplo, no Mineralize, porque a fórmula mineral aceita isso) quanto no pincel (e aí depois passa no produto). O brilho fica ainda mais intenso, dá até cegueira”, brincou Fabi. O mesmo vale para as sombras coloridas, que ficam mais vivas com essa ajudinha também!

2. PARA FAZER A “PELE DE INSTAGRAM”: a ideia aqui é construir uma película de Fix+ antes de passar a base. Você borrifa, faz uma camada, e aí dá uma ‘polida’ com o pincel kabuki ou duo fibra; espera secar, aplica mais uma vez, repete quantas vezes quiser (umas dez vezes, por exemplo, para aquela “pele de manequim”). “Como ele tem glicerina na fórmula, vai criar um ‘filme plástico’ na pele, aí em seguida você vem com a base, corretivo e finaliza a maquiagem como de costume”, explica Fabi. “Eu descobri esse truque com o pessoal que faz aquela pele com bastante cobertura, mas também vale para um make com pouca base também, esse efeito do Fix+ não depende da quantidade de produto que vai sobre as camadas”.

3. PARA TER UMA PELE COM VIÇO, MESMO COM COBERTURA: sabe quando você quer uma pele caprichada na correção, mas que não fique com aquele aspecto opaco? “Dê uma borrifada de Fix+ depois que terminar a maquiagem, ele vai devolver o viço, essa naturalidade para a pele”, ensina Fabi.

4. PARA CORRIGIR A SOBRANCELHA: “Eu gosto de raspar um pouquinho da sombra na cor que vou usar, misturo um pouco de Fix+ para fazer com que vire uma pasta e aí consigo desenhar os fiozinhos com o pincel onde precisa”, conta Fabi.

5. PARA FAZER SARDAS: segue o processo como na dica acima (raspa a sombra + mistura Fix+) e aí vem o truque de expert para fazer as desejadas sardinhas fake, mas com um efeito muito natural. “O jeito que eu piro pra fazer sarda é pegar uma escova de máscara de cílios limpa, passo nessa pastinha da sombra com Fix+ e aí espirro no rosto da modelo, que aí sai de um jeito sem muito padrão. Depois dou umas batidinhas com os dedos, fica maravilhoso!”, revelou Fabi.

Sardinhas e sombra metalizada power: dois momentos em que o Fix+ pode ser usado no make! | Foto: @inbeautmag

6. NOS LÁBIOS: nos backstages da vida os maquiadores costumam misturar com o LipMix, que é tipo uma pastinha super pigmentada, para diluir. Tem um batom ressecado? Raspe e misture com Fix+ para fazer uma versão cremosa dele, aí aplique com os dedos ou pincel. Vale também pensar em criar as mais variadas cores para os lábios aproveitando as suas sombras. O processo é o mesmo: raspar o produto, misturar com o Fix+ e aplicar!

7. PARA UMA BASE 2 EM 1: sua base de alta cobertura também pode ficar mais leve para o dia a dia, basta diluir um pouquinho do produto com o Fix+. “Eu adoro! Assim a base fica mais leve e você tem mais tempo para espalhar e trabalhar antes que ela se ‘assente’ no rosto. Fica mais natural”, contou Fabi. “A medida dessa mistura depende muito do resultado que você quer… costumo usar uma parte de Fix+ para duas de base, mais ou menos. Mas quanto mais cobertura e efeito matte você desejar, menos Fix+”.

8. PARA HIDRATAR A PELE AO LONGO DO DIA: no tempo seco (ou em ambientes como avião, com ar condicionado bombando!) o rosto fica daquele jeito implorando socorro, né? Nada que umas borrifadas de Fix+ não resolva! No verão, ele também pode ser o produto chave para se refrescar – tá liberado deixar o produto na geladeira por alguns minutos para ter uma sensação ainda mais maravilhosa!

Pra quem ama um brilho meeesmo, o Fix+ com partículas iluminadoras também chegou recentemente ao Brasil nas cores Goldlite e Pinklite | R$ 135

9. COMO PÓS-BARBA/DEPILAÇÃO: como tem camomila e pepino, entre outros componentes, o Fix+ é ideal para acalmar uma pele irritada, o que acontece muito nesse pós depilatório! “Sabe quando a pele está avermelhada? Pode passar que você vai ver que acalma na hora”, garante Fabi.

10. PARA FAZER O MAKE DURAR MAIS: esse provavelmente é o uso mais conhecido do Fix+, mas não custa nada lembrar, né? Pode usar antes (na preparação da pele), durante (entre uma camada e outra de base, por exemplo) e depois de finalizar toda a maquiagem para garantir aquele look impecável – e com viço! – que a gente precisa especialmente em ocasiões como um casamento, por exemplo.

DICA EXTRA – SOBRE A APLICAÇÃO: para borrifar no rosto, o ideal é manter no mínimo 15 cm de distância e no máximo 30 cm. No caso de juntar com raspas de iluminador, sombras, batons ou com a base, os maquiadores costumam usar uma plaquinha de metal, e aí mistura com o cabo do pincel ou um palito até dar a liga; em casa dá para achar qualquer recipiente que seja fácil de limpar e fácil de pegar o produto com um pincel depois.

  • Curtiram as dicas? Tem mais algum truque com o Fix? Compartilhe nos comentários!

 

10 jeitos de usar o Fix+, a bruma hidratante multifunções da M.A.C!

30 jul 2018
- Por Andressa Fernandes
Comentários

Queridinho do mundo da beleza, o Fix+ ficou ainda mais irresistível: é que a bruma hidratante da M.A.C ganhou três novas fragrâncias, unindo as propriedades de sua fórmula com vitaminas, minerais, chá verde, camomila e pepino ao aroma suave de Coco, Lavanda e Rosas!

Os produtos já foram lançados lá fora há algum tempinho, mas agora também chegaram à linha fixa da marca canadense no Brasil (R$ 120 cada) e essa foi a deixa para um encontro com Fabiana Gomes, maquiadora sênior da M.A.C por aqui! Ela deu várias dicas espertas para aproveitar o item das mais variadas maneiras, é um verdadeiro multiuso da maquiagem! “Fix+ é um salva-vidas mesmo, a gente costuma dizer que queria que viesse encanado na torneira”, brincou. Confira:

O Fix+ original e os novos com fragrância de Rosas, Coco e Lavanda | R$ 120 cada

10 JEITOS DE USAR O FIX+

1. PARA POTENCIALIZAR O ILUMINADOR (OU A COR DA SOMBRA): muitas vezes o brilho não aparece na foto, fica “morto”. O Fix+ meio que “dá uma liga nos pigmentos”, além de ajudar a fixar o make! “Você pode tanto borrifar direto na embalagem (isso funciona, por exemplo, no Mineralize, porque a fórmula mineral aceita isso) quanto no pincel (e aí depois passa no produto). O brilho fica ainda mais intenso, dá até cegueira”, brincou Fabi. O mesmo vale para as sombras coloridas, que ficam mais vivas com essa ajudinha também!

2. PARA FAZER A “PELE DE INSTAGRAM”: a ideia aqui é construir uma película de Fix+ antes de passar a base. Você borrifa, faz uma camada, e aí dá uma ‘polida’ com o pincel kabuki ou duo fibra; espera secar, aplica mais uma vez, repete quantas vezes quiser (umas dez vezes, por exemplo, para aquela “pele de manequim”). “Como ele tem glicerina na fórmula, vai criar um ‘filme plástico’ na pele, aí em seguida você vem com a base, corretivo e finaliza a maquiagem como de costume”, explica Fabi. “Eu descobri esse truque com o pessoal que faz aquela pele com bastante cobertura, mas também vale para um make com pouca base também, esse efeito do Fix+ não depende da quantidade de produto que vai sobre as camadas”.

3. PARA TER UMA PELE COM VIÇO, MESMO COM COBERTURA: sabe quando você quer uma pele caprichada na correção, mas que não fique com aquele aspecto opaco? “Dê uma borrifada de Fix+ depois que terminar a maquiagem, ele vai devolver o viço, essa naturalidade para a pele”, ensina Fabi.

4. PARA CORRIGIR A SOBRANCELHA: “Eu gosto de raspar um pouquinho da sombra na cor que vou usar, misturo um pouco de Fix+ para fazer com que vire uma pasta e aí consigo desenhar os fiozinhos com o pincel onde precisa”, conta Fabi.

5. PARA FAZER SARDAS: segue o processo como na dica acima (raspa a sombra + mistura Fix+) e aí vem o truque de expert para fazer as desejadas sardinhas fake, mas com um efeito muito natural. “O jeito que eu piro pra fazer sarda é pegar uma escova de máscara de cílios limpa, passo nessa pastinha da sombra com Fix+ e aí espirro no rosto da modelo, que aí sai de um jeito sem muito padrão. Depois dou umas batidinhas com os dedos, fica maravilhoso!”, revelou Fabi.

Sardinhas e sombra metalizada power: dois momentos em que o Fix+ pode ser usado no make! | Foto: @inbeautmag

6. NOS LÁBIOS: nos backstages da vida os maquiadores costumam misturar com o LipMix, que é tipo uma pastinha super pigmentada, para diluir. Tem um batom ressecado? Raspe e misture com Fix+ para fazer uma versão cremosa dele, aí aplique com os dedos ou pincel. Vale também pensar em criar as mais variadas cores para os lábios aproveitando as suas sombras. O processo é o mesmo: raspar o produto, misturar com o Fix+ e aplicar!

7. PARA UMA BASE 2 EM 1: sua base de alta cobertura também pode ficar mais leve para o dia a dia, basta diluir um pouquinho do produto com o Fix+. “Eu adoro! Assim a base fica mais leve e você tem mais tempo para espalhar e trabalhar antes que ela se ‘assente’ no rosto. Fica mais natural”, contou Fabi. “A medida dessa mistura depende muito do resultado que você quer… costumo usar uma parte de Fix+ para duas de base, mais ou menos. Mas quanto mais cobertura e efeito matte você desejar, menos Fix+”.

8. PARA HIDRATAR A PELE AO LONGO DO DIA: no tempo seco (ou em ambientes como avião, com ar condicionado bombando!) o rosto fica daquele jeito implorando socorro, né? Nada que umas borrifadas de Fix+ não resolva! No verão, ele também pode ser o produto chave para se refrescar – tá liberado deixar o produto na geladeira por alguns minutos para ter uma sensação ainda mais maravilhosa!

Pra quem ama um brilho meeesmo, o Fix+ com partículas iluminadoras também chegou recentemente ao Brasil nas cores Goldlite e Pinklite | R$ 135

9. COMO PÓS-BARBA/DEPILAÇÃO: como tem camomila e pepino, entre outros componentes, o Fix+ é ideal para acalmar uma pele irritada, o que acontece muito nesse pós depilatório! “Sabe quando a pele está avermelhada? Pode passar que você vai ver que acalma na hora”, garante Fabi.

10. PARA FAZER O MAKE DURAR MAIS: esse provavelmente é o uso mais conhecido do Fix+, mas não custa nada lembrar, né? Pode usar antes (na preparação da pele), durante (entre uma camada e outra de base, por exemplo) e depois de finalizar toda a maquiagem para garantir aquele look impecável – e com viço! – que a gente precisa especialmente em ocasiões como um casamento, por exemplo.

DICA EXTRA – SOBRE A APLICAÇÃO: para borrifar no rosto, o ideal é manter no mínimo 15 cm de distância e no máximo 30 cm. No caso de juntar com raspas de iluminador, sombras, batons ou com a base, os maquiadores costumam usar uma plaquinha de metal, e aí mistura com o cabo do pincel ou um palito até dar a liga; em casa dá para achar qualquer recipiente que seja fácil de limpar e fácil de pegar o produto com um pincel depois.

  • Curtiram as dicas? Tem mais algum truque com o Fix? Compartilhe nos comentários!

 

PERFIL
Camila Coutinho
MOST WANTED
TV GE
08
ago
#NABOLSA com Wanessa | what’s in your bag
PHOTOBOARD GE
#look-do-dia

Copyright © 2018 - garotasestupidas.com - Todos os direitos reservados
Designed and Created bt Condomínio Network
INSTAGRAM
Copyright © 2018 - garotasestupidas.com - Todos os direitos reservados | Designed and Created bt Condomínio Network